8 de janeiro de 2018

Confissões

Ele escreveu uma carta pra ela:
"Eu penso que tua arrogância só não é maior que tua indiferença, Ana Clara. Quem me julga por ter te deixado, não sabe o bicho arredio que tu és! Doze anos casados, te escondias nas noites pra escrever tuas lamúrias, tem poema pra amigo de infância, inimiga da escola, cachorro, família, objetos inanimados, paisagens, até pro teu ex tem uma ode! Eu que fui teu marido, não encontrei sequer um rima dedicada pra mim nesse acervo. Tu é uma filha da puta, Ana Clara! Quero que queime no fogo do inferno, tu e teus textos idiotas! Azeda! Insuportável!"
Ela respondeu:
"Querido, quem é tu no oceano da minha alma? Tu não vale nem uma nota de rodapé."

Nenhum comentário: