25 de junho de 2017

Míngua

Enquanto a lua cheia escancara
A lua minguante, esquecida de todos
Acoberta os ternos (e escondidos) amantes.

Quem te venera
É quem ama clandestinamente...

Tatuagem

Fotos tuas que eu não consigo apagar
Beijos apaixonados impossíveis de esquecer
Uma necessidade de ti que não se faz explicar
Essas tuas ausências infinitas só me fazem sofrer

Se eu tatuar teu nome no meu corpo
Você volta pra minha vida?

23 de maio de 2017

Ruínas

É triste pensar que você se foi
Como o vento que passa
O minuano que rasga
A torrente que devasta
Sem deixar rastro
Apenas lembranças
Que se tornam vagas
Pois o tempo é um algoz
Impiedoso
Inexorável
Assola as mais ternas memórias
De paixões e letargias
Carrega para as brumas do esquecimento
Amores, carícias e alentos.

19 de abril de 2017

Retaliação

No fim do dia
Sugada pelo afã
Há tempo pra esquecer
Você não me querer

Me dói, me mata
Pena você não ver
Meu amor indelével
Nunca irás saber

Mas se soubesse
Irias me querer?
Eu sonho, eu morro
Renasço, vai entender
Essa dúvida maldita
Me limita viver

No Compasso

Alma devassa
Corpo lasso

Singrando
No meu passo
Passo
Desfaço
Não tem jeito
Segue descompasso

18 de março de 2017

Outras vidas

De todos os momentos vividos
Eu quis que aquele se eternizasse
Nessa vida, nessa galáxia
Nas outras encarnações
Em todos universos paralelos
Para além do tempo e espaço.
Achei que fosse o frenesi do beck
Mas meu choro reprimido
Era minha alma em descompasso

Parecia que eu não tava curtindo
Baby, eu tava numa viagem cósmica
Um lugar onde só você pode me levar
Sem ter hora pra voltar...

Me apaixonei mil vezes
Nenhuma delas correspondida
São os percalços da vida
Lembrando que nem todo amor 
Tem sua guarida...

13 de março de 2017

Quizilas da Vida

Seja la o que te traz sofrimento
Deita tua dor na sanga
Que ela leva tudo embora

Não chora, criança
É só mais um dia cinzento
Logo se vai com o relento
Lembra da sanga que seca com o tempo

Só o destino vai te trazer alento...

5 de março de 2017

Tola vulgar

Foi fácil fazer eu me render
Meu coração lasso singrando
Só queria se apaixonar

Teus abraços, teu cheiro
Teu jeito, teus sobejos
Um inferno pra eu me atirar

O coração obtuso só falha
Não percebeu a armadilha
Comigo você só queria brincar

Porque quando eu me apaixono
Eu fico assim, uma tola vulgar
Um cão atrás das migalhas
Que você insiste em espalhar...

Mas, agora o jogo vai mudar!

Eu mando, você obedece
Eu chamo, você vem
Eu gozo, você desfalece
(Pra me fazer gozar)

Chega de penar!